Atlético: torcendo contra o vento

outubro 22, 2009 at 5:06 pm 2 comentários

“Se houver uma camisa branca e preta pendurada num varal durante a tempestade, o atleticano torce contra o vento”. Roberto Drummond, um dos mais ilustres torcedores do Galo e um dos que mais escreveu sobre o clube, é o autor da célebre frase.

Mas não só (como se já não bastasse). O Atlético era o assunto principal do autor de Hilda Furacão, entre outros sucessos literários, na coluna “Bola na Marca”, no jornal Estado de Minas. E assim foi de 1° de junho de 1969 a 21 de junho de 2002, quando nos deixou.

Roberto Drummond teve interrompido também seu sonho de publicar um livro sobre o Atlético. Sonho que aliás estava próximo, já que ele havia sido convidado para escrever a obra sobre o alvinegro de Minas para a coleção “Camisa 13”.

Como uma forma de fazer justiça e homenagear esse torcedor-símbolo, a Editora Leitura lançou “Uma Paixão em Preto e Branco”. Trata-se de uma compilação de crônicas de Roberto Drummond no Estado de Minas, todas sobre o Galo. O livro está presente no kit do Atlético na coleção de estreia do selo Paixão entre Linhas.

Quem teve o prazer e a responsabilidade de reunir esses textos foi Alexandre Simões, jornalista com passagens por Estado de Minas e Hoje em Dia, jornais onde cobriu Copa do Mundo, Olimpíadas e, é claro, muito futebol mineiro.

Veja entrevista com Alexandre Simões, organizador de “Uma Paixão em Preto e Branco”.

Qual a importância de lançar textos de Roberto Drummond sobre o Atlético? Qual a relevância desse autor para a torcida atleticana?

O Roberto Drummond, além de um grande torcedor do Atlético, é o criador da frase mais marcante da história do clube: “Se houver uma camisa branca e preta pendurada num varal durante a tempestade, o atleticano torce contra o vento”.

O que faz do Atlético-MG um clube diferente de todos os outros? Por que o torcedor do Galo deve ter orgulho de seu clube?

O Atlético é um clube que sempre foi carregado pela sua torcida. Desde o início da sua história uma característica é a ligação com a sua gente. E isso acontece não só nos grandes momentos, mas também nas fases mais difíceis. O maior exemplo da paixão do atleticano é o espetáculo que a torcida proporcionou quando o Galo jogou a Série B em 2006, um ano antes do seu centenário. O Atlético é movido pela paixão.

Cite um jogo inesquecível na trajetória do Atlético-MG.

Não há como fugir da vitória de 1 a 0 sobre o Botafogo, no Maracanã, em 19 de dezembro de 1971, que deu ao clube o título de primeiro campeão brasileiro. Este jogo é marcado na história atleticana.

Quais os maiores ídolos da história do clube?

O Atlético tem uma ligação muito grande com o chamado 9. Isso começa lá na metade da décaca de 1920, com o primeiro grande ídolo da história do clube, que foi Mário de Castro, e segue com Guará, Carlyle Guimarães, Ubaldo Miranda, Nilson, Dario, Reinaldo, Valdir e Guilherme. Curiosamente, apesar de não serem o chamado centroavante típico, dois ídolos recentes jogavam com a 9  (Marques e Diego Tardelli). Mas o Galo tem grandes ídolos em todas as posições, jogadores como Kafunga, Zé do Monte, Lucas Miranda, Nívio, Oldair, João Leite, Cerezo, Luizinho, Éder, Nelinho, Taffarel e muitos outros.

No processo de elaboração do livro, houve alguma informação que o surpreendeu?

A maior surpresa que eu tive foi em relação a uma crônica escrita pelo Roberto Drummond dois dias antes da final do Campeonato Brasileiro de 1977, entre Atlético e São Paulo. O Galo era favorito absoluto ao título e ele narra um sonho que teve com Cruyff, o grande craque holandês da década de 1970. E faz um paralelo do Atlético com a seleção da Holanda, que perdeu a Copa de 1974 para a Alemanha, mesmo jogando um futebol muito mais bonito. Parecia um pressentimento, pois o Galo, mesmo favorito e jogando no Mineirão, perdeu o título para o São Paulo, nos pênaltis.

Qual o episódio mais curioso da história do Atlético-MG?

São várias as passagens que merecem destaque. Mas uma delas ficou marcada para sempre, sendo cantada no hino do clube. Em 1950, o Atlético fez uma excursão à Europa e se saiu muito bem apesar de ter jogado várias partidas em campos cobertos de neve. Na volta ao Brasil, o Galo virou o Campeão do Gelo.

Para terminar, o que acha da dobradinha entre futebol e literatura?

O futebol é a maior manifestação cultural do Brasil. E tem uma história muito rica, desconhecida da maioria absoluta da população pela falta de tradição do país na literatura esportiva. Toda e qualquer iniciativa de se levar ao torcedor conhecimento sobre clubes, ídolos, competições, tem de ser elogiada, pois neste resgate da memória estamos reconhecendo e homenageando aqueles que ajudaram a transformar o futebol numa das principais indústrias do mundo, algo que só foi possível justamente pela paixão que o esporte exerce sobre as pessoas.

Anúncios

Entry filed under: Autores, Livros. Tags: , , , , , , , .

Santos: lembranças do melhor time que o mundo já viu Corinthians: caiu, mas não se rebaixou

2 Comentários Add your own

  • 1. SABRIN  |  setembro 4, 2010 às 2:58 pm

    galo doido

    Responder
  • 2. SABRIN  |  setembro 4, 2010 às 3:00 pm

    galo doido e vingador

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Olá, você está no blog do Paixão entre linhas, um projeto da Editora Leitura que une literatura e futebol e vai surpreender os torcedores dos principais clubes do país.

Posts

Twitter

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.

outubro 2009
S T Q Q S S D
« set   nov »
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031  

%d blogueiros gostam disto: