Archive for março, 2010

Os maiores artilheiros do Vasco

Em toda carreira, Romário marcou 1002 gols, Roberto Dinamite, 702, e Ademir, 301.

Ao lingo da história do Campeonato Brasileiro, iniciado em 1971, o Vasco é a equipe que mais teve artilheiros, com oiti: Roberto Dinamite em 1974 (16 gols) e 1984 (16); Paulinho em 1978 (19); Bebeto em 1992 (18); Edmuno em 1997 (29); e Romário em 2000 (20), 2001 (21) e 2005 (22 gols). Além disso, os maiores goleadores da história da competição, somadas todas as suas participações, também vestiram a camisa vascaína:

1. Roberto Dinamite: 190 gols em 20 campeonatos (1971 a 1992); média de 9,50 gols por campeonato. 181 gols foram marcados em 19 campeonatos disputados pelo Vasco e 9 gols em um campeonato pela Portuguesa de Desportos (SP).

2. Romário: 155 gols em 14 campeonatos (de 1986 a 2007); média de 11,07 gols por campeonato.

82 gols foram marcados em 7 campeonatos pelo Vasco.

3. Edmundo: 153 gols em 15 campeonatos (de 1992 a 2008); média de 10,20 gols por campeonato. 79 gols foram marcados em 6 campeonatos pelo Vasco.

Veja as glórias o Vasco da Gama e o ídolo Roberto Dinamite no lançamento do livro “Amor Infinito – O Sentimento não pode parar”. Dia 5 de abril, segunda-feira, na livraria FNAC do  Barra Shopping, ás 19h.

Anúncios

março 31, 2010 at 12:55 pm Deixe um comentário

Morre Armando Nogueira

A Editora Leitura sente pesar pela morte do jornalista e cronista esportivo Armando Nogueira.

Este amante da bola e da palavra teve, como poucos, o talento e a sensibilidade que tocou tantos neste país. Armando Nogueira deixa, além de seu legado, saudade e um vazio no cenário do jornalismo esportivo.

Abaixo crônica de Nogueira da despedida de Zico do futebol.

“A última noite

Maracanã, enfeita de bandeiras tuas arquibancadas que hoje é dia de festa no futebol. Encomenda um céu repleto de estrelas. Convida a lua (de preferência, a lua cheia). Veste roupa de domingo nos teus gandulas. Põe pilha nova no radinho do geraldino. E, por favor, não esquece de regar a grama (de preferência, com água-de-cheiro). Avisa à multidão que ninguém pode faltar. É despedida do Zico e estou sabendo, de fonte limpa, que, hoje à noite, ele vai repartir conosco a bela coleção de gols que fez nos seus vinte anos de Maracanã. Eu até já escolhi o meu: quero aquela obra-prima, o segundo gol do Brasil contra o Paraguai nas Eliminatórias do Mundial de 1986. Lembro-me como se fosse hoje. Zico recebe de Leandro um passe de meia distância já na linha média dos paraguaios. Um efeito imprevisto retarda a bola uma fração de segundo. Zico vai passar batido – pensei. Pois sim. Sem a mais leve hesitação, sem sequer baixar os olhos, ele cata a bola lá atrás com o peito do pé, dá dois passos e, na mesma cadência, acerta o canto esquerdo do goleiro paraguaio. Passei uma semana vendo e revendo no teipe aquele instante mágico de um corpo em harmonioso movimento com o tempo e com o espaço. E a bola, coladinha no pé, parecia amarrada no cadarço da chuteira. Um gol de enciclopédia. Se o amável leitor aceita uma sugestão, dou-lhe esta: escolha um dos gols que Zico fez graças à sua arte singular de chutar bola parada. Chutar a bola de falta à entrada da área é um talento que Deus lhe deu mas não de mão beijada, como imaginam os desavisados. Zico trabalhou seriamente, anos e anos, para alcançar a perfeição dos efeitos sublimes. À tardinha, quando terminava o treino, ele costumava ficar sozinho no campo do Flamengo – ele, uma barreira artificial, uma bola e uma camisa caprichosamente pendurada no canto superior das traves. A camisa era o alvo. Zico passava horas sem fim, chutando rente à barreira e derrubando a camisa lá de cima das traves. Chegava o domingo, na cobrança da falta, a bola já estava cansada de saber onde ela tinha que entrar. Não tenho dúvida em dizer que tardará muito até que apareça alguém que domine como Zico o dom de cobrar falta ali da meia-lua. Celebremos, querido torcedor, a última noite do maior artilheiro da história do Maracanã. Será uma despedida de apertar o coração. Se te der vontade de chorar, chora. Chora sem procurar esconder a pureza da tua emoção. Basta uma lágrima de amor para imortalizar o futebol de um supercraque. Cantemos, Maracanã, teu filho ilustre, relembrando em comunhão os dribles mais vistosos, os passes mais ditosos, os gols mais luminosos desse fidalgo dos estádios que tem uma vida cheia de multidões. Louvemos o poeta Zico que jogava futebol como se a bola fosse uma rosa entreaberta a seus pés. ”

Para Armando Nogueira, nosso aplauso!!!

março 30, 2010 at 11:11 am Deixe um comentário

O Mascote do Gigante da Colina

A partir de 1940, com a modernização do Jornal dos Sports pelo jornalista Mário Filho, o cartunista argentino Lorenzo Molas criou para a publicação os mascotes dos grandes clubes cariocas. O do Vasco era um almirante barbudo, quase sempre empunhando uma espada.

Na década de 1960, o carrtunista Henfil, do mesmo jornal, passou a ligar o Vasco à figura do Bacalhau, um comerciante portugues barrigudo e bigoduduo, em referência à ligação do clube com a colonia portuguesa.

O apelido talvez fosse um tanto pejorativo, mas foi assumido pela torcida de forma positiva. Na década de 1980, o cartunista Ziraldo rejuvenesceu os mascotes, e o almirante passou a ter cara de menino.

Para saber mais curiosidades sobre o Vasco da Gama compre o kit Paixão entre Linhas do Gigante da Coluna!

E não se esqueça, dia 5 de abril, na livraria Fnac do Barra Shopping (Av das América, 4666 – Nível Lagoa), à 19h lançamento do livro “Amor Infinito – O semtimento não pode parar”!

março 29, 2010 at 11:56 am Deixe um comentário

O Flamengo me ajudou a ser quem eu sou. É um dos pilares da minha vida.

A frase é do flamenguista Marcelo D2. Neto e filho de torcedor do Megão, D2 diz que , na sua infância, ver o flamengo no Maracanã possui um significado que transcende a simples paixão de criança pelo clube e pelo futebol. É a lembrança masi terna que o músico tem da relação com o pais. O sujeito durão, trabalhador, nada habituado a demonstrações de afetuosidade, era o mesmo que conduzia o filho ao estádio como se cumprisse uma predeterminação ou mesmo uma missão: garantir que a herança familiar seria transmitida, garantir que não haveria motivos para o avô Peixoto se desapontar. No dia do título mundial de 1981, que deveria ser o mais feliz da vida daquele menino de 14 anos, juntavam-se a euforia e a ausência do pai, que acabar de se separar da mãe de D2.

D2 relatou esta história no livro Meu Maior Prazer – Histórias de uma paixão, dos jornalistas Carlos Eduardo Mansur e Luciano Cordeiro Ribeiro. Esta publicação faz parte do Kit Paixão entre Linhas do Flamengo. Além de D2, estão no livro os fanáticos torcedores Cláudio Manoel,Moraes Moreira, além de depoimentos de Zico, Zagallo, Bruno, Adriano, Nunes, entre outros craques…

março 26, 2010 at 1:22 pm Deixe um comentário

PARABÉNS CLUBE ATLÉTICO MINEIRO

Hoje, dia 25 de março o Clube Atlético Mineiro completa 102 anos!

A torcida deve sair às ruas com a camisa do time e gritar sua paixão, orgulho e amor pelo Galo!

PARABÉNS ATLÉTICO!

março 25, 2010 at 2:43 pm Deixe um comentário

Nasce a Mancha Verde

No dia 11 de janeiro de 1983 a torcida do Palmeira Mancha Verde é fundada. Esta torcida é o resultado da união de três antigas torcidas organizadas, a Império Verde, Inferno Verde e Grêmio Alviverde. Estes grupos de torcedores eram compostos, na sua maioria de adolescentes. Sugeriu-se uma dnominação que se tornaria inclusíve o símbolo representativo da torcida, baseado em um dos personagens das revistas em quadrinhos.

Em 5/12/1992 a torcida Mancha verde, no jogo entre Palmeiras x São Paulo, entrou par o Guinnes Book, o livro dos recordes, por possuir a maior bandeira do mundo – 80 por 40 metros.

Outras torcidas atuantes nas arquibancadas são Savoia e Pork’s Alviverde, ambas de menor porte, são as outras duas torcidas palmeirenses atuantes nas arquibancadas.

Quer saber mais sobre o Palmeiras?

Compre o Kit Paixão entre Linhas do Palmeiras!

março 25, 2010 at 11:30 am Deixe um comentário

Paixão entre Linhas no jornal Hoje em Dia

Veja no blog da Editora Leitura resumo da matéria do jornal Hoje em Dia sobre o selo Paixão entre Linhas!

março 24, 2010 at 12:14 pm Deixe um comentário

Posts antigos


Olá, você está no blog do Paixão entre linhas, um projeto da Editora Leitura que une literatura e futebol e vai surpreender os torcedores dos principais clubes do país.

Posts

Twitter

  • RT @editoraleitura: "5ª rodada do Brasileirão é dos Paulistas" Confira o post no blog Paixão Entre Linhas: tiny.cc/ag3un E dê sua ... 6 years ago
  • Pessoal, hoje nós nos mudamos oficialmente para o Twitter da Editora Leitura @editoraleitura onde agora também haverão tweets sobre futebol! 6 years ago
  • RT @editoraleitura: Boa tarde, gente!!! Então quer dizer que hoje começa o inverno, né? Hummm... isso nos lembra uma leitura bem gostosa ... 6 years ago
  • Já tá todo mundo seguindo o Twitter da Leitura? @editoraleitura Em breve o Paixão Entre Linhas vai ser lá também! :) 6 years ago
  • RT @editoraleitura: Entre os sorteios no “Bem Amigos” da SPORTV de hoje vai ter 365 MOTIVOS P/SER VASCAINO de Bruno Mazzeo e Sergio Alme ... 6 years ago
março 2010
S T Q Q S S D
« fev   abr »
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031